Notícias

Projeto que libera FGTS a quem pede demissão é aprovado, mas governo quer barrar

Abr 13, 2018 | Comentários

Comissão de Assuntos Sociais do Senado (CAS) do Senado aprovou projeto na última quarta-feira (11), mas governo considera que impacto seria grande

Um projeto que permite ao trabalhador sacar o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) mesmo quando pede demissão foi aprovado pela Comissão de Assuntos Sociais (CAS) do Senado na última quarta-feira (11). Atualmente, só é possível movimentar a conta do fundo ao pedir demissão quando empregado e empregador fazem um acordo, permitindo sacar até 80% de saldo.

Caso não haja pedido de recurso para análise do plenário, o projeto do FGTS seguirá para a Câmara dos Deputados, posteriormente sendo necessário passar por sanção do presidente Michel Temer. O governo, no entanto, deve trabalhar para barrar o projeto, pois é visto como algo muito custoso.

A primeira tentativa seria levar a proposta para o plenário do Senado, tentando impedir que o projeto vá para Câmara. Apesar de os cálculos não terem sido fechados, o governo diz que isso implicaria na redução dos financiamentos de áreas como saneamento, habitação e infraestrutura, que têm juros mais baixos devido aos recursos do FGTS.

Além disso, segundo o governo , o trabalhador que pede demissão não tem a necessidade de ser protegido como aquele que foi demitido. Considera-se que o fundo foi criado justamente para auxiliar pessoas que perdem o emprego.

Segundo a legislação atual, a conta do fundo pode ser movimentada em 18 situações, como casos de demissão sem justa causa, por exemplo. A reforma trabalhista, que entrou em vigor no final do ano passado, prevê que, caso seja feito um acordo, o empregado receba 20% dos 40% de multa sobre o total do fundo – além do regaste dos 80%.

Outros benefícios

Além do projeto do FGTS , outro benefício entrou em pauta nesta semana. Cerca de 90 mil segurados que recebem auxílio-doença ou aposentadoria por invalidez foram convocados nesta quinta-feira (12) pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) a agendar uma perícia médica para reavaliar a continuidade do pagamento do benefício concedido.

Fonte: Portal Fenacon / Brasil Econômico

Compartilhe:

Postagens Recentes

Obrigatoriedade de afixar cartaz...

Set 25

Com adesão obrigatória em novembro,...

Set 24

Imposto de Renda Retido na...

Set 21

Receita Federal notifica devedores do...

Set 18

Empresas estão sendo notificadas por...

Set 17

Prazo para implantação do eSocial é...

Set 14

Trabalhadores terão crédito mais...

Set 13

Sonegação do FGTS cresce; trabalhador...

Set 12