Notícias

INSS: passo a passo para tirar o extrato para declarar o IR

Mai 16, 2023 | Comentários

Extrato pode ser baixado gratuitamente pelo aplicativo do Meu INSS.

Os beneficiários do Instituto Nacional de Seguro Social (INSS) que estiverem obrigados a declarar o Imposto de Renda (IR) podem solicitar o informe de rendimentos do Imposto de Renda de Pessoa Física (IRPF) gratuitamente  pelo aplicativo Meu INSS ou presencialmente nas agências

Qualquer cidadão que receba benefícios do instituto consegue acessar o extrato dos valores recebidos no ano-calendário passado.

O prazo para declarar o Imposto de Renda termina em 31 de maio. Neste ano, a Receita Federal estima receber de 38,5 milhões a 39,5 milhões de declarações do IRPF.

Veja o passo a passo para acessar o extrato pelo aplicativo:

  • Abra o aplicativo do Meu INSS;
  • Entre com a conta gov.br; Na aba “Meus Benefícios”, clique em “Extrato de Imposto de Renda”;
  • Escolha o ano calendário de 2022;
  • Selecione o benefício que recebe;
  • Baixe o arquivo em PDF.

Quem ainda preferir, pode agendar o atendimento presencial. Também é possível fazer a solicitação pelo Portal do Meu INSS. No site, informe seus dados, clique em “Novo requerimento” e digite no campo “pesquisar” a palavra “extrato” e selecione o serviço desejado. Compareça à unidade do INSS, no dia e hora marcados, com os documentos necessários.

Declaração pré-preenchida

Os contribuintes terão uma declaração pré-preenchida a partir de dados informados por outros documentos: a Declaração de Imposto de Renda Retido na Fonte (Dirf) , Declaração de Informações sobre Atividades Imobiliárias (Dimob), Declaração de Serviços Médicos e de Saúde (Dmed). A função estará disponível somente para os usuários do gov.br prata e ouro.

De acordo com o Fisco, a declaração pré-preenchida reduzirá a chance dos cidadãos caírem na malha fina por diminuir a chance de declarar informações equivocadas. 

Nesse ano, a pré-preenchida conta com novas informações. Confira:

  • Imóveis adquiridos e registrados em ofício de notas, declarados na Operações Imobiliárias (DOI);
  • Doações efetuadas no ano-calendário declaradas por instituições em Benefícios Fiscais (DBF);
  • Inclusão de criptoativos declarados pelas Exchanges;
  • Atualização do saldo em 31 de dezembro de 2022 das contas bancárias e de investimento, desde que informado corretamente CNPJ, banco, conta, agência e saldo em 31 de dezembro de 2021;
  • Inclusão de conta bancária ou fundo de investimento novo, ou não informados na declaração de 2022;
  • Rendimentos de restituição recebidas no ano-calendário.

Restituição do IR

A restituição do Imposto de Renda contará com cinco lotes, de acordo com a Receita Federal. 

A restituição pode ser paga pelo Pix ou por transferência bancária. A chave do Pix precisa ser CPF. 

O valor da restituição é atualizado pela taxa básica de juros, a Selic, que atualmente está em 13,75%. 

Para o cálculo, é considerado o acumulado a partir do mês seguinte ao do prazo final de entrega da declaração até o mês anterior ao pagamento, mais 1% no mês do depósito.

Fonte: Portal Contábeis - Com informações do Poder360

Compartilhe:

Postagens Recentes

Quais são as mudanças no IRPF em 2024...

Abr 19

FGTS: entenda o prazo para liberação...

Abr 18

Saques do FGTS devem ser informados no...

Abr 17

RH: estratégias para combater o...

Abr 16

Litígio Zero 2024: entenda quais...

Abr 15

IRPF 2024: benefícios como...

Abr 12

Golpe: Receita Federal encontra novos...

Abr 11

Como saber se tenho direito à...

Abr 10